A idade é pouca, mas a força de vontade foi suficiente para fazer a estudante Mônica Cunha, de 18 anos, atravessar o mundo em busca de uma meta: vencer um concurso de mandarim na China. Aluna do curso de Engenharia Civil da Faculdade UCL, ela venceu a primeira etapa da competição aqui no Brasil e foi para o continente asiático, onde competiu com 127 universitários de 87 países. Na final, que reuniu um representante de cada continente, Mônica Cunha saiu vitoriosa.

Como prêmio, a estudante ganhou uma bolsa de estudos por três anos para continuar a faculdade na China, com tudo pago, inclusive passagens aéreas, hospedagem, alimentação e plano de saúde. “A viagem será no segundo semestre de 2015. Eu pretendo ficar lá parte desse período. Quero voltar antes dos três anos, para concluir a faculdade aqui na UCL”, contou.

Mônica aprendeu mandarim porque os pais dela trabalharam anos na China e, por isso, ela morou lá durante um tempo. “Quando estava lá, via a propaganda do concurso na televisão, mas era voltado para universitários. Eu dizia que, quando estivesse na faculdade, participaria. E foi o que aconteceu”, contou.

O concurso foi televisionado na China e, mais do que questões relacionadas ao conhecimento do mandarim, incluiu desafios como peças de teatro e convivência com nativos, para testar o domínio da língua pelos participantes. “Eu tive que me passar, por exemplo, por uma vendedora de rua, para que eles avaliassem o meu desempenho. Tudo era filmado e televisionado”, disse.

Questionada se ela pode ser considerada, então, uma celebridade na China, Mônica brinca. “Digamos que eu seja um pouquinho conhecida por lá”, afirmou.