Fabio Almeida, formado pela UCL no curso de Engenharia de Automação e Controle, acaba de conquistar o título de mestre em Gestão de Engenharia pela Northeastern University, em Boston, nos Estados Unidos. Ele contou um pouco de como foi a caminhada até conseguir o diploma e frisou: a rede de contatos que fez na faculdade foi fundamental para ele ter chegado aonde está.

O engenheiro destacou que a oportunidade de morar fora surgiu da vontade que ele tinha de se especializar na área de Gestão da Manutenção.

“A Northeastern é uma das poucas universidades no mundo a oferecer esse programa, além de ser bastante conceituada no país. Estruturei um plano e me mudei para Boston em junho de 2013. Entre junho e setembro desse mesmo ano, foquei minha energia em conseguir notas altas nos exames TOEFL e GRE, que são os exames de proficiência em língua inglesa e em raciocínio lógico/matemático, respectivamente. De posse de boas notas, me inscrevi na minha universidade e fui aprovado”, contou.

Fabio trabalhou durante todo o curso. Seu desempenho, inclusive, rendeu-lhe uma vaga de emprego na empresa onde fez estágio.

Durante meu terceiro semestre tive a oportunidade de fazer um estágio de sete meses na Rockwell Automation, onde trabalhei sob a supervisão do Diretor de Operações. Sem dúvida, foi uma oportunidade profissional muito proveitosa. Minha responsabilidade primária era gerenciar o portfolio de projetos da minha unidade. Além disso, gerenciei projetos de produtividade, em que o objetivo era reduzir custos de produção para os produtos da empresa, e também gerenciei as fases finais de um projeto que lançou novos sensores fotoelétricos no mercado. Pude também fazer parte de alguns projetos de melhoria de processo, aprendendo ferramentas Lean e Six Sigma, que são áreas de estudo em que possuo muito interesse”, comentou.

Para Fabio, além dos conhecimentos acadêmicos, a experiência de morar em outro país fez dele um ser humano e um profissional mais flexível. “Passei a enxergar o mundo com outros olhos. Como vivi a minha vida inteira na mesma cidade, com as mesmas pessoas, meu modo de pensar foi sempre o mesmo. Na Northeastern, tive a oportunidade de conhecer alunos, professores e colegas de trabalho de todo o planeta. Essa experiência me moldou um profissional mais flexível e adaptável a mudanças. Aprendi a respeitar e a aprender com culturas, estilos de vida e de trabalho que nunca havia visto antes. O mais legal disso tudo foi poder extrair coisas boas dessas interações e incorporá-las ao meu portfolio de habilidades. Eu me formo com uma excelente bagagem e com uma grande rede de conexões”, afirmou o novo mestre.

Da época da faculdade

FabioAlmeida-Northeastern-University-UCL-01Fabio destacou que a formação obtida na UCL contribuiu para que ele obtivesse um bom desempenho nos Estados Unidos.

“A UCL me ajudou a ter um enfoque prático em relação a tudo que estudo. Pude perceber que alguns estudantes e colegas de trabalho recém-formados aqui nos EUA não tinham a mesma experiência profissional e prática que eu tinha. Durante meus anos na UCL, sempre tive auxílio de professores e colegas para que pudesse aplicar o conteúdo de aula em laboratórios e experimentos. Como muitos professores eram veteranos na indústria, sempre éramos desafiados a desenvolver coisas mais complexas. E isso foi um diferencial na minha formação. Outro ponto de destaque foi o ambiente da faculdade. Para mim, o que faz a UCL ser o que é hoje são as pessoas. Tive a oportunidade de fazer amigos para a vida toda, sejam professores ou alunos. Essa rede de contatos foi o que me fez estar onde estou hoje e sempre serei grato por essa oportunidade”, disse.