Os estudantes Simon Stefanus Veldman e Jan-Rik Potze, holandeses que passaram um período no Espírito Santo por meio de uma parceria entre a UCL e a Hanze Universidade de Ciências Aplicadas, de onde eles são alunos, finalizaram o projeto de conclusão do curso de Engenharia Mecânica e, após apresentação realizada na última semana, foram aprovados. Sob a coordenação do professor Fransergio Leite da Cunha, eles desenvolveram uma prótese de mão de baixo custo.

O objetivo dos estudantes foi criar uma prótese de mão mioelétrica, que é movimentada por meio de sensores, e disponibilizar o projeto na internet. Dessa forma, qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo, poderá montar ou mandar montar a prótese sem precisar pagar pelo projeto, gastando apenas com a confecção da prótese, que não deve ter custo superior a 300 euros.

Nos últimos tempos, tem crescido no mundo a tendência de fazer próteses de baixo custo, com peças fabricadas em impressoras 3D. ONGs e pesquisadores de diversos países apostam na tecnologia colaborativa para melhorar a vida de crianças e adultos que, por motivos diversos, precisam de uma prótese, mas não têm condições de pagar pelas tradicionais e de alto custo existentes no mercado.